Páginas

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Novidades!

Lançamentos da Editora Rocco!



Confira aqui os últimos lançamentos da Rocco!

                                                         
                                                             


A Luz Entre Oceanos
Autor(a): M.L. Stedman


Sinopse: Tom Sherbourne é um homem traumatizado pela sangrenta Primeira Guerra Mundial, que retorna à terra natal, a Austrália, para tentar reconstruir sua vida. Sua busca por paz o leva a ser o mais novo faroleiro de Janus Rock, uma ilha isolada ao oeste da costa australiana. Ele e sua mulher, Isabel, vivem bem, até ela sofrer dois abortos espontâneos e descobrir que não pode ser mãe.
Um dia, um barco naufragado aporta na ilha. Nele, estavam um homem, já morto, e um bebê, ainda vivo. Este fato trágico e inusitado reacende a esperança de Isabel de ter um filho, fazendo o casal tomar uma decisão que marcará suas vidas para sempre. Quebrando todas as regras, Tom não registra o acidente com o barco nem a chegada inesperada daquele bebê. O jovem casal se torna protagonista de um drama moral, numa escalada de eventos com desdobramentos devastadores.
O isolamento proporcionado pela ilha é a proteção do casal do mundo externo. Ninguém praticamente visita o local e, sendo assim, é muito fácil criar Lucy longe dos olhos da comunidade mais próxima. Mas nada dura para sempre, e o afastamento é quebrado quando o casal deve apresentar a filha aos avós maternos e uma cerimônia de batismo é providenciada. Ali, Tom, para sua infelicidade, descobre que sua Lucy tem uma mãe – que jamais se recuperou do desaparecimento do marido e da filha no mar. Tom não quer mais pesos na consciência do que já tem e fica tentado a revelar a verdade. Mas Isabel o desafia e questiona seu amor por ela.
Tom toma sua decisão. E as consequências são terríveis para todos. O faroleiro, responsável por iluminar o caminho dos navegantes em alto-mar, vê apenas uma trilha escura à sua frente. Escrito por uma advogada que aborda os limites da ética e os dilemas morais sob diferentes pontos de vista, A luz entre oceanos é um livro sobre perdas trágicas e escolhas difíceis, sobre a maternidade e os limites do amor.       


                                                                        
                                                                      
Clarice Lispector - Pinturas
Autor(a): Carlos Mendes de Souza


Sinopse: Mais uma faceta pouco conhecida da escritora Clarice Lispector vem a público no lançamento Clarice Lispector – pinturas, do português Carlos Mendes de Sousa, professor de literatura brasileira na Universidade do Minho e um dos maiores especialistas do mundo na obra da escritora. Trata-se da profunda relação da autora com as artes plásticas, e os reflexos dessa relação em seu pensamento em sua vasta obra.

Grande admiradora das artes, Clarice tinha especial interesse pela pintura, conviveu com diversos artistas e produziu suas próprias pinceladas, cerca de 20 delas reproduzidas no livro. “A atmosfera pictórica contamina a escrita de Clarice Lispector em aspetos mais ou menos visíveis”, afirma Sousa, que ao longo de sua análise utiliza trechos de romances, contos, crônicas e até mesmo cartas da escritora, que comprovam o quanto o universo da pintura esteve presente em sua vida e obra.
Seja através de personagens diretamente ligadas este universo, como a pintora protagonista de Água viva – segundo Sousa “o marco que torna decisiva a presença da pintura na obra de Clarice” –, seja de forma mais sutil, a autora de A hora da estrela eA paixão segundo G.H. era tão atravessada pelos questionamentos acerca da arte de escrever quanto de pintar.
No livro, Carlos Mendes de Sousa começa por falar sobre a ambientação do apartamento de Clarice no Leme, onde ela se estabelece depois de retornar ao Brasil em 1959. Sua sala, como pode ser conferida em registros fotográficos dos anos 1960 e 1970, se assemelhava a uma galeria de artes, com quadros tomando cada centímetro das paredes.
O contato com as artes, no entanto, veio antes, quando ainda era casada com o diplomata Maury Gurgel Valente e vivia na Europa. Nos anos 1940, na Itália, Clarice escreveu às irmãs: “Estou posando para uma pintora brasileira, há muitíssimos anos na Itália, Zina Aita.” A pintora, de nome pouco conhecido, participara da Semana de Arte Moderna de 1922.
O acadêmico também mostra como a atmosfera pictórica contamina a escrita de Clarice, em aspectos mais ou menos visíveis, como os jogos de luz e sombra, os recortes formais, as descrições, a presença da cor etc. É o visualismo de sua obra que se revelaria, por exemplo, através de um uso próximo das técnicas impressionistas (utilização de comparações e repetições) e de técnicas expressionistas, na tentativa de captar o mundo das sensações.
Outra característica marcante é o confronto de olhares: em toda a obra de Clarice a visão é de uma centralidade espantosa. As personagens olham a si mesmas permanentemente, e também se observam e se radiografam umas às outras. Isso é facilmente constatado em obras como A paixão segundo G.H., no momento em que a protagonista é olhada pela barata.
Clarice também utiliza efeitos gráficos para causar impacto visual em sua obra. Os tracejados no início e no final de A paixão segundo G.H. ou os recursos de pontuação utilizados em Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres (a vírgula a começar e os dois pontos a fechar), ou, ainda, o conhecido efeito da justaposição de títulos na página inicial de A hora da estrela são alguns dos exemplos dados por Sousa.
O autor faz todo este percurso para mostrar como o contato de Clarice com as artes a conduz à elaboração dos seus quadros, cujo conjunto mais significativo foi produzido no ano de 1975. Para Sousa, a presença do título no próprio quadro, por vezes com marcas de acréscimos ou de rasuras, mostra um cruzamento de caminhos ou uma natural contaminação do quadro com lugares da literatura, numa espécie de diário visual da autora.
Analisando algumas de suas pinturas, Sousa idenfica toda explosão criativa de Clarice como artista completa – nas artes e na literatura.  


                                                                            
                                                                               
O Jogo da Mentira - The Lying Game #1
Autor(a): Sara Shepard


Sinopse: O que você faria se descobrisse ter uma irmã gêmea? E se essa descoberta fosse feita através do vídeo que a mostra sendo assassinada? É assim que Emma Paxton sabe da existência de Sutton Mercer, sua irmã gêmea idêntica.

Primeiro volume de The Lying Game, a nova série de Sara Shepard, autora de Pretty Little Liars, O jogo da mentira repete a trajetória de sucesso de PLL, com uma trama ainda mais intrincada e sombria. O enredo acompanha a história de duas gêmeas separadas ao nascer e unidas por um misterioso assassinato.
Após serem abandonadas pela mãe, as irmãs têm destinos bem diferentes. Emma Paxton cresceu em orfanatos e casas de famílias adotivas temporárias. Sutton Mercer acabou sendo adotada por uma família rica e tinha tudo o que Emma sonhava: uma família amorosa, amigos que a idolatravam e um namorado apaixonado. Sutton, no entanto, está morta, e resta a Emma descobrir quem cometeu o crime.
Ao tentar saber mais sobre Sutton, Emma acaba sendo confundida e assume a identidade da irmã. Ela logo descobre que, apesar de popular, Sutton cultivou muitos inimigos com seu ‘Jogo da Mentira’. A brincadeira, que dá nome ao livro, já tinha feito muitas vítimas e consiste em pegadinhas por vezes cruéis e perigosas.
Para tentar solucionar o mistério, Emma tem que conviver com as melhores amigas da irmã, convencer o namorado de Sutton que ela é a garota por quem ele se apaixonou e interpretar muito bem o seu papel de irmã e filha. Sustentar a farsa, no entanto, não é fácil, principalmente quando todos à sua volta são suspeitos do crime e ela pode ser a próxima vítima.


                                                                               
                                                                
                                                                   
Cinder - As Crônicas Lunares #1
Autor(a): Marissa Meyer


Sinopse: Na comunidade oriental, mais precisamente em Nova Pequim, uma cidade atulhada de construções futuristas e gente que se desloca em “autodeslizadores”, vive uma adolescente de 16 anos, de nome Cinder. Depois de um trágico acidente, ela é transformada em ciborgue (metade humana metade máquina). Seus talentos como mecânica chegam aos ouvidos do príncipe Kai, que, ao procurá-la para fazer reparos em seu androide, descobre mais que uma profissional competente. Kai é tomado pela paixão.

Refém da madrasta que a humilha e a tem sob sua guarda desde a morte do marido, o cientista que a salvou, é apontada como culpada por contagiar a irmã, uma humana e amiga, atingida pela peste que há uma década assola o planeta. Cinder é entregue aos pesquisadores, na condição de cobaia. Eles, porém, descobrem que a garota é um exemplar único, que pode mudar o rumo da disputa intergalática.
O universo mágico traçado por Marissa Meyer, ao longo de 38 capítulos, envolve o leitor, que imediatamente se torna íntimo de termos como Modelo Tutor 8.6 e outras esquisitices do gênero. A prosa surpreendente flui e faz com que eles pareçam familiares. Há ação em cada página, mas também lugar para imagens tão singulares quanto as que descrevem Nova Pequim. “Os telhados de ouro pontiagudos brilhavam em cor laranja sob o sol e as janelas refletiam as luzes da cidade. As cumeeiras ornamentadas, os pavilhões diferenciados que oscilavam perigosamente perto da borda do penhasco, os templos arredondados se esticando para os céus.”


                                                                                  
                                                                         
                                                                        
Deixa Comigo
Autor(a): Mario Levrero


Sinopse: Um escritor em apuros financeiros recebe uma missão pitoresca. Deve viajar ao interior do Uruguai à procura de Juan Pérez, de quem possui uma única informação: enviara dias antes, sem endereço de remetente, o manuscrito de um romance genial a uma editora. É assim que o protagonista de Deixa comigo chega ao povoado de Penurias, onde encarna um detetive atrapalhado e disperso, que transforma pequenas atividades do dia a dia em peripécias de rumos sempre imprevisíveis.



                                                                                    
                                                            
                                                                  
Asco
Autor(a): Horacio Moya


Sinopse: Dois amigos de infância, Vega e Moya, se encontram num bar, num final de tarde em San Salvador, América Central. O primeiro deles acaba de retornar à cidade, para o velório da mãe, após anos de autoexílio. Diante de seu interlocutor silencioso, revela toda a cólera e a indignação com o lugar onde nasceu e de onde, garante, preferiria manter distância. Sua revolta não poupa nada – da cerveja que os nativos costumam apreciar até o modelo de ensino – e vai crescendo numa escalada feroz. Asco se dá na forma de um relato que se desenvolve sem pausas, num único parágrafo, consolidando um texto de crueza perturbadora. Uma investida rara no fel que pode habitar a relação entre um homem e sua cidade.

                                                                      
                                                                    
                                                                        
                                                                       
                                                                             
Quantic Love 
O Romance que resolve a equação do amor!
Autor(a): Sonia Fernández-Vidal


Sinopse: Uma viagem para o centro de pesquisa nuclear mais avançado do mundo, e a vida de Laila nunca mais seria a mesma. A jovem protagonista de Quantic Love, que acabara de terminar o ensino médio e ainda não havia decidido que carreira seguir, decide deixar Sevilha com destino à Suíça para fazer um trabalho temporário no CERN (Centro Europeu de Pesquisas Nucleares), durante o verão, que lhe renderia uma grana extra para custear seu primeiro ano na faculdade.

Sempre acompanhada do molesquine que ganhou de presente do pai para registrar os seus inesquecíveis momentos de viagem, a novata escreve diariamente suas aventuras, seus aprendizados e as anedotas científicas que ouve dos alunos da instituição.
Os primeiros dias de adaptação não foram fáceis, afinal, Laila iria trabalhar como garçonete em um dos restaurantes do local, servindo café para cientistas vindos de todo o mundo que viravam noites ali, em meio às suas fórmulas e teorias sobre os incríveis segredos do nosso Universo, sempre ávidos por cafeína para manter o ritmo e a atenção que uma pesquisa deste porte requer. É no CERN que acontecem as investigações em torno do LHC, o maior acelerador de partículas do mundo e também a máquina mais fria do Universo.
Entre experiências com viagens no tempo, partículas que superam a velocidade da luz e outras que revelam a origem do Universo, como o tão procurado bóson de Higgs – que é popularmente conhecido como a partícula de Deus – a menina percebe que está em um lugar privilegiado e entre pessoas igualmente fascinantes.
No alojamento, Laila conhece Angie, sua bela e superinteligente colega de quarto, uma das estudantes daquela renomada instituição. Apesar das muitas diferenças entre as duas, Laila descobre nela uma amizade confortável, de irmã mais velha, ainda que Angie seguisse um estilo bastante liberal.
Cercada de nerds por todos os lados, Laila irá descobrir que a ciência pode ser sexy. Com um carisma que lhe é próprio, mesmo sem perceber, Laila faz boas amizades por lá, principalmente entre os jovens estudantes de verão, e passa por encontros e festas inusitadas. No meio de muitas surpresas, a jovem fica dividida entre dois amores: Alessio, um jornalista e grande sedutor; e Brian, um cientista inteligente que esconde um grande segredo. Este romance, que se propõe a revelar a equação do amor, vai nos mostrar que este sentimento é de longe a energia mais poderosa do Universo!


                                                                       
                                                                                
A Gramática do Amor
Autor(a): Rocío Carmona


Sinopse: Eu amo, tu amas, será que ele me ama?! Irene estava prestes a ser reprovada em uma das disciplinas mais importantes de sua vida, até ser matriculada, meio a contragosto, num curso singular: “A gramática do amor”, oferecido com exclusividade a ela pelo seu charmoso professor de inglês, que por trás de belos olhos azuis guarda uma grande tristeza. Através da leitura de autores como Tolstói, Jane Austen, Murakami, Stefan Zweig e García Márquez, a garota, após viver sua primeira grande desilusão amorosa, mergulha em narrativas que a levarão a entender seus próprios sentimentos, elaborar seus desejos e perdas e, principalmente, escrever a sua própria história.

Livro de estreia da catalã Rocío Carmona, vocalista da banda Nikosia, A gramática do amor conquistou público e crítica na Espanha e vem ganhando traduções em diversos países. O romance acompanha a trajetória de Irene, uma adolescente espanhola enviada para um internato no sul da Inglaterra após o divórcio dos pais, e suas aventuras e desventuras amorosas. Com sensibilidade, a autora constrói um romance apaixonante sobre a descoberta do amor e o poder da literatura.
Depois de ser feita de boba por Liam, o “garanhão” da turma, Irene começa a achar que nunca encontrará um amor verdadeiro. Como se sua angústia e sofrimento não fossem suficientes, ela tem que lidar com os questionamentos acerca da separação dos pais, a saudade de casa e das amigas que deixou na Espanha, as dificuldades de adaptação com o clima, a língua e o jeito de ser dos ingleses e uma colega de quarto “sem noção”. Não fosse o treinamento nada ortodoxo imposto pelo jovem professor Peter Hugues – que inclui doses diárias e literatura universal e corrida – Irene talvez não passasse na prova da vida.
“Somos o que resta de nós quando alguém nos parte o coração pela primeira vez.” Esta a conclusão da protagonista ao chegar ao fim de A sul da fronteira, a oeste do sol, de Haruki Murakami, sua primeira leitura no curso de gramática do amor. Depois dele vêm Orgulho e preconceito, o clássico de Jane Austen, o tristíssimo Carta de uma desconhecida, de Stefan Zweig, e muitos outros. Todos contendo anotações de leitores anteriores, que soam como xaradas propositalmente colocadas ali para provocar ainda mais a leitura da garota. E cada um deles, à sua maneira, ajudando a pavimentar a tortuosa estrada para o coração de Irene.


                                                                          
                                                                               
                                                                                    
Sombra da Noite - Trilogia das Almas #2
Autor(a): Deborah Harkness


Sinopse: Diana Bishop e Matthew Clairmont chegam a 1590 em busca de um pouco de tranquilidade depois da série de emoções vividas nos capítulos finais de A descoberta das bruxas, primeiro livro da Trilogia das Almas. A volta ao passado, que abre a continuação Sombra da noite, está ligada ao Ashmole 782, o misterioso manuscrito que os aproximou durante a estada de Matthew no século XXI. Depois de ser localizado por acaso por Diana durante uma consulta à biblioteca da Universidade de Oxford, o documento voltou a desaparecer do numeroso acervo. Diana e Matthew acreditam que voltando no tempo podem procurar o manuscrito antes de ele se tornar tão visado.

A vida no final do século XVI revela-se mais agitada do que o esperado. Diana precisa acostumar-se não apenas aos costumes, trajes e bons modos vigentes, mas com o temperamento explosivo do Matthew do século XVI. Para completar, terá de aprender a lidar com as criaturas que os cercam, não apenas bruxos como ela ou vampiros como Matthew, mas demônios. Um dos mais difíceis é um dos melhores amigos do marido, o escritor Christophe Malowe. Ao passar um tempo na companhia de Matthew e Christophe, Diana descobre que os dois fazem parte da famosa Escola da Noite, grupo formado por renomados intelectuais na virada do século XVII.
Não é apenas com os amigos de Matthew que Diana precisará aprender a lidar. Companhia ainda mais difícil é a do sogro, Phillipe, que não acredita que o filho foi capaz de se unir a uma bruxa. Tão logo a questão é esclarecida, Phillipe tenta ajudar Diana, buscando um bruxo capaz de auxiliá-la a conhecer o tamanho de seus poderes. Enquanto não consegue encontrar um professor capaz de lhe ensinar, Diana segue provocando as reações mais diversas nas pessoas e criaturas com quem precisa conviver. Todas as pesquisas que realizou como cientista e o conhecimento adquirido na universidade parecem não servir na hora de encarar o dia a dia da Era Elisabetana.
O casal busca abrigo em diferentes locações, na França, na Inglaterra e na cidade de Praga. A cada nova etapa, Diana vai conhecendo melhor o homem com quem resolveu se unir. Matthew não é apenas o charmoso vampiro de mais de 1500 anos. No século XVI, ele é guerreiro, nobre influente e espião a serviço da rainha Elisabeth I. Diana também não passa despercebida. Na Londres de 1590, ela chama a atenção de diferentes criaturas pela energia que emana, mesmo que ela mesma não tenha noção do poder que carrega.
Diana e Matthew envolvem-se em diversas situações até depararem-se com o que lhes fez viajar tão longe: o manuscrito Ashmole 782. Para conseguir o que querem terão de lidar com todo tipo de situação.


                                                                       
                                                                                  
                                                                                    
Conversas com um Professor de Literatura
Autor(a): Gustavo Bernardo


Sinopse: O professor pode ser o herói da fita? Clichê é proibido? Você é contra Paulo Coelho? A leitura deve ser obrigatória? Ficção demais faz mal? Gustavo Bernardo Krause é um perguntador incansável. Para cada questionamento, porém, o professor de teoria da literatura da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) procura sempre refletir sobre a melhor resposta. Em Conversas com um professor de literatura, o também escritor e ensaísta carioca apresenta algumas dessas reflexões sobre questões variadas de quatro áreas que fazem parte de seu dia a dia: educação, redação, literatura e filosofia.

Gustavo Bernardo descobriu muito cedo três aspectos sobre sua vida: que era professor, que gostava de ser professor e que era um chorão da melhor qualidade, como relata logo no início de Conversas com um professor de literatura. As três descobertas ocorreram todas no mesmo dia, durante a formatura de sua primeira turma, composta por senhores e senhoras do antigo Mobral. Os formandos compraram dois presentes para o jovem mestre, que se deu conta naquele momento do quanto apreciava o papel de educador – e de como não resistia a demonstrações de carinho tão singelas sem prorromper em “lágrimas de esguicho”, como descreve a cena recorrendo a Nelson Rodrigues.
Grande parte dos 50 textos reunidos por Gustavo Bernardo em Conversas com um professor de literatura são revisões de artigos seus publicados na revista eletrônicaVestibular da Uerj entre 2009 e 2011. Com um estilo de escrita fácil, o professor parece estar conversando com seus alunos, respondendo a perguntas que volta e meia lhe são feitas. Os textos partem de um assunto maior, a educação, para, aos poucos, serem direcionados para temas mais específicos, como a produção de um bom texto e a questão da leitura, até chegar ao que intitula especulações filosóficas relacionadas à literatura, área em que é especialista.
Gustavo Bernardo aborda o papel do professor, argumenta sobre o controverso sistema de cotas implantado nos últimos anos nas instituições brasileiras, questiona o uso dos livros didáticos e opina sobre as influências do Big Brother e da leitura de Paulo Coelho na vida não só de seus alunos, mas de pessoas em geral. Como bom professor de literatura, refere-se constantemente a exemplos de autores, personagens ou enredos de seus livros preferidos. Entram em cena então figuras como Machado de Assis, Guimarães Rosa e Dom Quixote.


                                                                                
                                                                                     
                                                                                            
Minha Irmã Mora Numa Prateleira
Autor(a): Annabel Pitcher


Sinopse: Minha irmã mora numa prateleira é uma bela metáfora sobre perdas, morte e a eterna busca pela reinvenção da vida. Foi com ela que Annabel Pitcher fez sua estreia na literatura, em 2011, abocanhando importantes prêmios e conquistando uma legião de leitores. Com uma linguagem típica de um menino de 10 anos, embora carregada de intimismo e belas imagens, Annabel prende o leitor com delicadeza, fazendo-o viajar na história de Jamie, um pré-adolescente perdido em suas questões familiares.

O caráter intimista de sua escrita se evidencia também na forma. Ao contrário do habitual, os diálogos escritos pela autora não são destacados ou precedidos de travessão. Estão todos embutidos em sua prosa, como se para marcar ainda mais os sentimentos contidos do garoto e sua dificuldade em demonstrar emoções. O trecho a seguir ilustra bem isto. “Minha psicóloga em Londres declarou que eu estava num Estado de negação e que ainda sofria do choque. Disse que Um dia isso o atingirá e aí você vai chorar. Aparentemente, não choro desde o 9 de setembro, quase cinco anos atrás, que foi quando aconteceu.”
Jamie se refere à morte da irmã, Rose, morta em um atentado terrorista executado por paquistaneses, no centro de Londres. Ele era ainda muito pequeno e a diferença de idade o impediu de ter a real compreensão da perda. Seu pai, ao contrário, se entregou à dor, ao alcoolismo e ao desprezo pelos imigrantes.
O livro aborda de maneira realista e honesta o bullying – uma forma de violência psicológica que costuma surgir na fase escolar – e o forte preconceito contra os de origem muçulmana, que passaram a ser alvo de segregação, desde os atentados de 11 de setembro, em Nova York. Tão logo foi lançado, Minha irmã mora numa prateleiravirou um bestseller, traduzido em várias línguas.


                                                                                
                                                                      
                                                                      
Apontamentos para o Futuro - Palavras de Sabedoria
Autor(a): Nelson Mandela


Sinopse: Desde dezembro de 1952, quando Nelson Mandela foi banido pelo governo do apartheid da África do Sul, até sua libertação em fevereiro de 1990, o mundo não só ficou privado da presença como da sabedoria de um grande homem: era crime sujeito a prisão citar o seu nome, ou seus escritos. No entanto, em 38 anos de prisão, Mandela não foi silenciado. Suas palavras eram ditas e ecoadas por meio de sussurros ou contrabandeadas para fora do cárcere e divulgadas por companheiros exilados. Agora, as palavras de Mandela tomam o mundo com suave, mas contundente, força.

Apontamentos para o futuro, um lançamento da Rocco, reúne frases e ditos de um dos maiores líderes dos tempos atuais. A coletânea foi construída a partir de arquivos pessoais, discursos, correspondências e gravações de áudio, e mostra o perfil de um grande homem por meio de suas palavras. Afinal, como Mandela disse em uma de suas cartas: “Um bom texto também pode nos lembrar dos momentos mais felizes de nossas vidas, trazer ideias nobres a nossos refúgios, nosso sangue e nossas almas. Pode transformar a tragédia em esperança e vitória.”


                                                                                        
                                                                                
                                                                     
O Mistério e o Mundo
Paixão por Deus em tempos de descrença!
Autor(a): Maria Clara Bingemer


Sinopse: Em O Mistério e o mundo a teóloga Maria Clara Lucchetti Bingemer analisa a trajetória das transformações culturais que levaram a crise das religiões e configuraram novos desafios e responsabilidades para o homem contemporâneo, oscilante entre a crença, e a descrença e em muitos casos indiferente ao tema. A autora mostra o impacto da sociedade globalizada nos valores do cristianismo, e em outras religiões como o judaísmo e o islamismo. Católica, ela lança uma reflexão pioneira sobre a paixão por Deus em tempos de descrença.

A obra O Mistério e o mundo leva o leitor a refletir também sobre a experiência do Sagrado através de histórias de vida que apresentam propostas radicais de amor ao outro: a biografia da ativista norte-americana Dorothy Day, convertida ao catolicismo; a trajetória de Esther Hillesum, jovem judia, herdeira de uma longa tradição espiritual, e que enfrentou bravamente a ocupação nazista; a vida de doação e amizade aos pobres do jesuíta Egide van Broeckhoeven, nascido na Antuérpia, mostram que o homem ainda busca o contato com o Mistério de Deus. E quando isto acontece, ele transcende suas limitações. Dentro ou fora da Igreja e das instituições religiosas, os místicos ensinam que experimentar o contato com Deus os conduz a uma paixão ardente por este mundo pulsante e também sensorial. E é isto que os motiva a trabalhar sem cessar por sua redenção e transformação.


                                                                                          
                                                                                                           
                                                                                                                
 O Castelo de Papel
Autor(a): Mary del Priore


Sinopse: Ela, obediente filha e herdeira do Império do Brasil. Em comum, a formação rígida e a devoção religiosa. A união por interesses familiares não impediu que fossem apaixonados por toda a vida, representando o retrato acabado do romance do século XIX. Através da história dos dois, o livro revela a tensa atmosfera de um mundo em transição. O século que se seguiu à Revolução Francesa foi marcado por seguidos choques entre o novo espírito laico e republicano e as velhas estruturas aristocráticas do Antigo Regime. Na Europa, monarquias entravam em crise enquanto a industrialização criava um proletariado cada vez mais ativo. A nobreza defendia seus direitos em arranjos familiares e alianças dinásticas. Enquanto isso, no Brasil, a estabilidade do Império ventilava uma imagem de um regime imune aos novos ventos, atraindo nobres, como o conde d’Eu.

Junto com seu tempo, os personagens também se modificam. Das rusgas com o sogro, à atuação controversa na Guerra do Paraguai, o jovem príncipe descobre aos poucos que, embora a monarquia resista no novo mundo, ela parece cada vez mais identificada com o novo sistema burguês do que o Antigo Regime. A princesa, obediente e reclusa, acaba por assinar a Lei Áurea, que a tornaria inesquecível na História do Brasil.
Baseado em uma vasta documentação, o livro reconstrói o mundo que dava sentido ao romance dos dois personagens, conduzindo o leitor a um dos períodos mais interessantes de nossa história. Um tempo onde reis perdiam suas coroas, barões eram aposentados de sua grandeza, mas que, como mostra o romance, príncipes e princesas ainda casavam e eram felizes para sempre.                                                                                                                           
                                                              
                                                                                 
                                                    
                                                                             
                                                                                          
                                                                           
                                                                                 
                                                                         
                                                                               
                                                                                 
                                                                           
                                                      

4 comentários:

  1. Cheio de livros legais, várias adições a minha lista, o que falta é o $ né? rsrsrsrs

    Gostei do seu blog e estou seguindo :)
    Adorei seu layout, achou na net ou você que costomizou?

    Gabriel - http://umpapoentrepaginas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente só aumenta os livros na lista do Skoob, e falta $! kkkkkkkk
      Obrigada por seguir o blog!!
      Ah fui eu mesma que fiz o layout! *----*

      Seguindo o seu blog também!
      =B

      Excluir
  2. Quero ler Cinder :B
    Gostei da postagem ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também quero ler esse livro! =B
      Obrigada manolo!

      Excluir